UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA_UNIPAMPA

autores: giulianno camatta, guilherme josé, marcos franchini e pedro lodi

colaboradores: thomaz lanna 

ano: 2011

Inserido no contexto da expansão do ensino superior nacional, o concurso do anexo do campus Santana do Livramento da UNIPAMPA se revela como uma oportunidade concreta de colocar em prática novos modelos de funcionamento e organização do campus universitário.

Com isso em mente, desenvolvemos uma proposta baseada no conceito de integração aplicado às esferas do público/privado, interno/externo e tradição/ inovação.

Atualmente, a organização espacial da edificação não suporta o crescimento da instituição, a estrutura não acompanhou as mudanças das atividades ali desenvolvidas.

A proposta pretende atenuar a dicotomia existente entre público e privado considerando a independência que a atividade educacional requer.

Buscamos estimular ao máximo o encontro entre os usuários, mesmo que este aconteça somente através do contato visual, uma vez que acreditamos que o distanciamento e o isolamento das pessoas se fazem cada vez mais presentes no modo de viver atual. Apostamos na conectividade, não só do novo conjunto, mas deste com a cidade. Para sua legitimação, consideramos o contexto em que ela será inserida, tomando partido e reconhecendo a importância dos edifícios históricos para a população fazendo a nova edificação pertencer ao cotidiano dos usuários através de sua arquitetura contemporânea e sua disposição no terreno, marcando uma nova etapa na história do campus.

A nova construção deve ser a extensão de seu entorno. Para isso a área destinada ao auditório e à biblioteca foi localizada ao nível público, atendendo não só a demanda da instituição como também, a da população de Santana do Livramento, assumindo papel fundamental para atração dos cidadãos para dentro do campus.

Quanto ao aspecto funcional, o anexo se configura pela flexibilidade dos espaços, diversidade de níveis e lajes vazadas, permitindo a permeabilidade visual e interação entre os ambientes. A sensação de unidade não está limitada à nova edificação, mas se apresenta em conjunto com a estrutura já presente. A intervenção foi pensada como um todo, compartilhando serviços e conectando o existente com a edificação proposta através de um núcleo vertical que percorre todos os quatro novos pavimentos e abriga elevadores, banheiros e uma escada comum às edificações, permitindo dessa forma o uso mais racional de todo o complexo.

Diálogo direto com o meio ambiente - clima e paisagem

Para garantir que o campus se adapte às mudanças de temperaturas entre as estações do ano, optamos pela utilização de materiais como chapas expandidas e perfuradas combinadas com vidro e u glass para os fechamentos dos ambientes. Além disso, o sistema permite uma transparência controlada e adequada às atividades a serem desenvolvidas ali. A adequação do pé direito dos ambientes propostos ao pé direito da edificação existente proporciona a conexão entre as construções e a circulação do ar por todo o anexo.

A fachada nordeste, mais linear, fica exposta ao sol para aproveitar a absorção de calor. O fechamento em camadas, uma parte com vidros transparentes e outra opaca com u glass, protege da isolação melhorando o conforto interior entre dia e noite, verão e inverno.